sexta-feira, 19 de abril de 2013

Por onde anda a cantora Rosana?


A cantora Rosanah Fienngo
Repudiar o passado glamuroso pela palavra de Deus é um ato tão corriqueiro, que muitos preferem esquecer que um dia fizeram sucesso lá nos anos 70, 80 e 90 e partem da nova fase, tentando mostrar ao novo público que aquela sim é a sua verdadeira fase. Isso é uma grande ilusão. Vários cantores aderiram à fase de Deus depois de cometeram pecados absurdos e foram encontrar nas palavras divinas, escritas há mais de dois mil anos, um motivo para tentar se camuflar e não admitir que perderam espaços para os novos cantores, novos segmentos, estilos e canções. Baby do Brasil que o diga: um dia fora Baby Consuelo, a Baby que cantava de tudo, que pintava os cabelos de cores berrantes (para a época era uma afronta) e que falava aquilo que lhe vinha à mente. Hoje, convertida, Baby se recusou a cantar durante muitos anos, sucessos que falavam do sexo feminino, da libertinagem, da mulher e se entregou profundamente ao seu Deus inoperante. Recentemente, graças ao filho Pedro Sá (que tocou ao lado de grandes estrelas da música brasileira, inclusive com Bebel Gilberto), Baby se desvencilhou da imagem de Deus e encarnou brilhantemente a nossa eterna Baby do Brasil.

Todo cantor que faz uma versão de um sucesso americano, juntando frases e expressões sem algum sentido, precisa tomar cuidado com o futuro que os espera.  Os fãs do brega pegajoso devem estar desesperados agora que Rosana repudiou para sempre seu clássico Como uma Deusa ao se converter evangélica, transformando-o em Como meu Deus. Isso faz um tempinho que aconteceu, mas chegar ao ponto de transformar a letra para agradar a um novo público, chega a ser bizarrice e burrice.

Tudo bem que, digamos, não combina para uma evangélica cantar uma letra com magia negra, fora da lei, mas, cá entre nós, bastava se converter, já que a letra de Amor e Poder não faz sentido nenhum e o passado ao passado pertence. Além disso, sem Amor e Poder (que muitos chamavam – e chamam – de Como Uma Deusa) na trilha sonora, o clássico da antiga TV Pirata, Fogo no Rabo (com o inesquecível personagem Barbosa, interpretado por Nei Latorraca), não seria a mesma coisa. Agora, componha novas músicas, Rosana!

Eu era muito fã da cantora gótica Rosana, que parava tudo para vê-la cantar na TV. Lembro-me que os programas de auditório da época, a chamavam insistentemente. Rosana era uma cantora bonita, tinha traços delineares da maçã do rosto exposto e tinha os olhos meio puxados, o que dava a imagem de ser uma japonesa, uma chinesa ou uma equatoriana. Menos brasileira. Mas o sucesso de Como uma Deusa era muito maior que a cantora e isso a engoliu de tal forma, que Rosana não conseguiu emplacar sucessos futuros. E olha que os discos de Rosana eram muito bem caprichados e com músicas bacaninhas. Mudou o estilo, mudou as fotos, tentou ficar mais ousada, mas de nada adiantava. Aquela época, os fãs queriam ouvir somente como uma deusa, você me mantém e as coisas que você me diz, me levam além...

Quando Rosana, cansada disso tudo talvez, resolveu mudar de estilo de vida (e até de religião), tudo aconteceu. As plásticas no rosto foram ficando cada vez mais estranhas e acabavam com a beleza exótica da cantora, mas a voz de Rosana estava ficando muito melhor, mais encantadora, mais sedutora, mais Rosana. E a transformação não foi em vão: Rosana estava desiludida com a indústria fonográfica que insistia em coloca-la entre as maiores cantoras do Brasil, mas o público exigia que ela cantasse a (para ela cansativa) Como uma Deusa. Rosana era muito mais do que uma deusa. Sua maior desilusão foi a morte do filho e, depressiva como estava, resolveu mudar de vida, convertendo-se a palavra de Deus. Começava ali a reclusão de Rosana, a deusa.

Conhecida pelo único sucesso Amor e Poder - tema de novela da Rede Globo e gravado em vários idiomas - a cantora Rosana se converteu e foi ao mercado com uma versão gospel ao lado de Claudia Valente, que, a época, lançava seu primeiro álbum, Nascer de Novo. Rosana trocou de nome e sobrenome: de Rosana, passara a Rosanah e de Fiengo, passara a Fienngo. Portanto, agora a cantora assina Rosanah Fienngo. Em entrevistas concedidas ignora esse tipo de comentário e solta o famoso vozeirão, avisando que sua fé é inabalável. Foi graças a ela, aliás, que Rosanah aprendeu a lidar com perdas, como a morte de seu primeiro filho, que a aproximou ainda mais de Deus.   Com o apoio da amiga Claudia Valente, a cantora passou a frequentar os cultos na Igreja Batista, no Rio de Janeiro, onde teve um encontro com Jesus, que mudou seu destino.  

Incrível como o mundo da fama pode ser glamoroso e cruel ao mesmo tempo. Muitas celebridades tiram o melhor dos seus 15 minutos - ou anos - de sucesso, mas alguns aparecem meteoricamente, ganham espaço e somem. No site oficial da cantora Rosana consta que o último CD dela, lançado em 2003, ganhou o Disco de Ouro em Portugal. Ela tem 10 no total, ao longo da carreira. Rosana esteve na trilha de uma famosa novela da Record, obviamente. Em dueto com Rodrigo Faro, canta Reencontro, que fizera um sucesso considerável. Mas foi com o hit Amor e Poder, sucesso no final da década de 80, que Rosana fez história. A frase do refrão Como uma deusa hoje é praticamente sinônimo da cantora.

 

Por onde anda a cantora Rosana?

Marcelo Teixeira

 

Nenhum comentário: